O Correio de Cartaxo esteve à conversa com o presidente João Heitor, tentando antever quais são as principais preocupações do autarca para o nosos concelho em 2024.

“Desejando um bom 2024 aos leitoresdo Correio do Cartaxo, este será um ano em que esperamos implementar parte do trabalho que temos desenvolvido no passado. E estamos naturalmente muito atentos à gestão das prioridades da população que consideramos prioritário alcançar essas comunidades o mais rapidamente possível.

 Projetos que temos desenvolvido: Temos também um investimento muito significativo ano que diz respeito à recolha de resíduos urbanos, com a aquisição de viaturas com, a criação do novo centro de recolha .Temos também a perspetiva de criar um ponto de recolha, localizado em Pontével e que pretendemos tornar também num ecocentro, algo sobre o qual também falamos várias vezes. Quanto ao processo do Centro de Saúde, com o projeto que desenvolvemos, está praticamente terminado, por isso estamos aqui aguardando a resposta da ARS nos próximos dias. Depois, também temos aqui alguns projetos que também estamos desenvolver para a D. Sancho, para a José Tagarro e Marcelino Mesquita. 

Em termos de escolas, este ano que passou concluímos um projeto muito importante que foi a escola Secundária .Com isso também foi preciso intervir noutras escolas. O processo de construção colocou os alunos noutros locais, o que também foi uma razão e criando a necessidade de intervir nessas outras escolas, criando melhores condições nesses estabelecimentos de ensino.”

 Além disso, temos projetos específicos para cada uma das freguesias.

 Sabemos que não podemos resolver todos os problemas , empre dissemos que não temos uma varinha mágica para resolver tudo, que é tudo o que é necessário. Mesmo sabendo que este projeto pode ser estruturado para esta zona da cidade. Temos também numa outra dimensão o parque subterrâneo que é fundamental para nós. E não só estacionamento subterrâneo, mas também o resto do estacionamento de superfície dentro do plano que já existe, que já existia, mas é importante do ponto de vista ético e moral. As pessoas terão facilidade em parar o seu carro a assim esperamos também dinamizar o comércio local. Já nos jardins e nas zonas verdes, há trabalho a fazer, mas isso é algo, como disse no início, que também temos feito e que vamos continuar. Se formos para a Valada, continuaremos o nosso trabalho de intervir ao longo da zona ribeirinha para manter aquela zona mais atrativa, mais apelativa não só para quem lá vive, mas também para aqueles que nos queiram visitar. A APA, concedeu-nos essa concessão e vamos procurar regular esse espaço torna-lo também um pouco mais atrativo. Mais uma vez para que aqueles que lá vivem, e que vivem no concelho do Cartaxo e também aqueles que nos visitam possam desfrutar do espaço.E há outro projeto que temos e em que a ambição deste ano, será de desenvolver um projeto escolar que queremos implementar na velha escola do 1 ciclo de Valada, onde teremos um centro de interpretação do rio Tejo. Em Valada o trânsito é um desafio muito grande, intervindo com sinalização e regulação e intervindo não só nas estradas principais mas também nas chamadas “estradas de Campo” , onde a atividade económica é muito importante, não só para a região, mas também para a perspetiva de que vivemos num território, integrado numa região e nessa perspetiva, é também o nosso contributo para a economia regional e nacional. Há um projeto que pretendemos implementar, gostaríamos também de realizar uma intervenção mais próxima mais próximo da junta de freguesia mais ricas e assim por diante, mas é por isso que temos um lugar aqui, sinto cada vez mais vamos tentar, vamos perceber o que pode ser feito, mas nesta altura será mais. Temos de criar condições para isso, mas a missão é intervir no edifício da junta de Pontével, temos aqui não só a vila, mas também os Casais Lagartos , Casais da Amendoeira e para além das vias, temos também de pensar em intervenções, estamos também a falar de criar calçadas. E na resolução de alguns problemas também. Vamos encontrar obstáculos, mas estamos motivados para fazer melhor. Já na Lapa , teremos o alargamento do cemitério e estamos a dar o apoio técnico para que tudo decorra tranquilamente, até porque o protocolo de competências já foi feito.Haverá também a questão do parque infantil da Lapa, pois trata-se do único equipamento que aquela comunidade dispõe. Na Ereira, estamos a concretizar o novo parque infantil, para além das pavimentações. Em Vale da Pinta, temos também a questão do parque de estacionamento na zona central junto ao cruzamento da freguesia, e teremos em conta que esta freguesia é das que tem, a par com Pontével, as vias em pior estado. Já em Vale da Pedra termos de intervir com prioridade, no centro e nas instalações da junta de freguesdia e da extensão do Centro de Saúde.

E assim teremos um orçamento de execução que vai chegar aos dois milhões e meio de euros na rede viária em três anos, esperando ter a capacidade técnica de resposta. ” “Temos a obrigação de gerir bem as receitas para que sejam devidamente canalizadas para os munícipes”, disse João Heitor ao Correio do Cartaxo.”.

nota: Devido à extensão e pormenor da entrevista, reservamos mais declarações de carácter global para o próximo mês.

Paulo Ferreira de Melo- Texto e fotos